• Dra Patrícia Savoi

Você conhece o Magnésio? Sabe por que deveria consumí-lo?


Olá! Vou contar um pouco sobre o Magnésio para você! Recentemente, uma revisão de estudos publicada na revista científica BioMed Central Medicine analisou envolveu dados de mais de 1 milhão de pessoas  os resultados apontaram que, com o maior consumo desse mineral na alimentação, as pessoas correm menor risco de encarar derrames (Acidente Vascular Cerebral), insuficiência cardíaca, diabete tipo 2 e morte precoce. E isso com o consumo a partir de 100 miligramas do mineral por dia (equivale a um punhado de castanhas de caju torradas ou duas colheres de sopa de linhaça bem cheias.)

O magnésio é peça-chave para o funcionamento do organismo, pois esse nutriente se envolve em mais de 300 reações bioquímicas.

Um dos principais papéis do magnésio é regular a contração dos músculos. Além disso, como é antioxidante, ele auxilia a eliminar , ou melhor, a combater os radicais livres.

Ao controlar as contrações musculares, ele ajuda a manter nosso músculo mais importante, o coração, no compasso. E ainda relaxa as paredes dos vasos sanguíneos, diminuindo o risco de a hipertensão dar as caras. Isso sem contar a força que dá na recuperação dos exercícios físicos e na redução de dores e cãibras.

Na ala feminina, quem sofre com tensão pré-menstrual (TPM) não deve descuidar das fontes de magnésio. Seu efeito, digamos, relaxante impacta também no útero, auxiliando a aplacar as cólicas nesse período. Para você ter ideia, em casos específicos se recomenda a suplementação do mineral até na gravidez. “A ideia é conter as contrações uterinas e evitar partos mais prematuros”, esclarece a nutricionista Ana Carolina Bragança, da Clínica Nutrissoma, em Porto Alegre.

Uma pesquisa feita em parceria entre as universidades americanas Harvard e Vanderbilt indica, ainda, que a ingestão de mais de 265 miligramas de magnésiopor dia, em média, exerce um papel digno de nota na saúde óssea: entre tantas interações, o mineral parece brigar para evitar a deficiência de vitamina D, importante para o esqueleto. Aliás, a maior parte do magnésio que frequenta nosso corpo está armazenada nos ossos.

Se combinar as doses certas do nutriente com uma dieta balanceada, você também soma pontos à prevenção do diabete. Ao participar do processamento dos carboidratos, a substância tende a deixar menos glicose livre pelo sangue, o que evita a sobrecarga do pâncreas com a fabricação de insulina (o hormônio que permite ao açúcar ingressar nas células). Por esse papel especial no controle glicêmico, especialistas acreditam que o mineral trabalha contra o ganho de peso e o aparecimento da síndrome metabólica, aquela coleção de riscos às artérias. “Dessa forma, menor é a probabilidade de sofrer com as doenças cardiovasculares”, resume Signorá Konrad, coordenadora do Laboratório de Nutrição Experimental da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul. Devido à sua já citada ação antioxidante, o magnésio coíbe também processos inflamatórios envolvidos com a obstrução dos vasos.

Uma boa medida para aumentar o consumo desse nutriente tão valioso é prestar atenção na origem do alimento. “A oferta dos minerais está relacionada com a riqueza do solo”, explica Signorá. Ampliar a quantidade de produtos orgânicos à mesa é uma das sacadas para atingir a cota, uma vez que o cultivo sem agrotóxicos parece incrementar a concentração dos compostos do bem.


Obrigada!

Beijos Dra Patricia

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo