• Dra. Patricia Savoi

Semana do Canabidiol- O que é o Canabidiol?


Uma das principais perguntas quando iniciamos esse assunto é: o canabidiol vem da mesma planta da maconha? E a resposta é SIM. Existe alguns problemas na semântica atual: Cannabis x Marijuana x HEMP x Machonha x Cânhamo.

O canabidiol é apenas 01 dos centenas de componentes presentes na planta Cannabis sativa. O termo “cânhamo” (em inglês hemp) refere-se ao caule da planta. Tem menos THC-tetrahidrocanabinol (falaremos mais adiante dele) e mais CBD-Canabidiol em comparação com as flores e folhas (as inflorescências, chamadas de maconha). Nos Estados Unidos, o óleo de cânhamo é considerado um suplemento alimentar pelo Food and Drug Administration (FDA), órgão regulador de alimentos e medicamentos, e é comercializado por algumas empresas no país. Mais recentemente, famílias brasileiras começaram a importar ilegalmente (ou depois de conseguir autorização específica da Anvisa para o seu caso) essa formulação por causa de sua alta proporção de canabidiol (cerca de 20%, contra menos de 1% de THC) –  que, além das propriedades já descritas, é um poderoso anticonvulsivante.

Por isso óleos de cannabis com altas quantidades de CBD têm tido resultados surpreendentes – ainda sem comprovação científica em laboratório – o controle de convulsões em crianças com epilepsias graves e difíceis de tratar com remédios disponíveis no mercado. Pais relatam melhoras evidentes no controle das convulsões e desenvolvimento das crianças. (Leia sobre esses casos na Mente e Cérebro no 259, Maconha: o que a neurociência tem a dizer).  Indico também o filme brasileiro "Ilegal" disponível em diversas plataformas online, inclusive NETFLIX. 

Para esclarecer Canabidiol (CBD) é um dos 80 canabinóides presentes na planta Cannabis sativa e não produz os efeitos psicoativos típicos da planta. Ele possui efeito antioxidante e neuroprotetor, principalmente. 

Existe um potencial interesse terapêutico em diversos quadros como: a epilepsia, a esquizofrenia, a doença de Parkinson, a doença de Alzheimer, isquemias, diabetes, náuseas, câncer, como analgésico e imunossupressor, em distúrbios de ansiedade, do sono e do movimento, . As evidências de eficácia foram observadas em diferentes níveis, do pré-clínico em animais aos ensaios clínicos em pacientes, dependendo da cada doença estudada. Para as epilepsias refratárias da criança e do adolescente, existem evidências em todos os níveis, até os ensaios clínicos controlados e duplo-cegos, todavia, com número restrito de pacientes. 

Não deixe de seguir a série no youtube e os próximos textos aqui no blog pelos próximos 10 dias! Compartilhe se achar que pode ser interessante para alguém! Vídeo no Youtube

https://youtu.be/Fxu8mpuaZSw


Beijos

Dra. Patrícia Savoi

Médica Nutróloga e especialista em Ayurveda pelo Chopra center, CA-EUA

CRM 140.483

RQE 40.206


15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo