• Dra Patrícia Savoi

Meditação da Compaixão

E se o mundo fosse um lugar mais amável, mais sábio e mais compassivo?​




Compaixão... o que essa palavra significa para você?

Compaixão é uma palavra de origem latina; vem de  compadecer =  "sofrer com". Ter compaixão é a virtude de compartilhar o sofrimento do outro. Não significa aprovar suas razões, sejam elas boas ou más. Ter compaixão é não ter indiferença frente ao sofrimento do outro,  é a virtude de compartilhar o sofrimento do outro. 


Foi baseado nesse conceito que o dr Richard Davidson desenvolveu sua pesquisa  amplamente focada nas bases neurais de emoção e estilo emocional, bem como métodos para promover o desenvolvimento humano, incluindo meditação e práticas contemplativas de compaixão. Em seu centro de estudo "Center for Healthy Minds" várias pesquisas e práticas são realizadas a fim de demonstrar os benefícios da prática da meditação de compaixão para o ser humano. Ele diz que assim como outras habilidades, a compaixão e a bondade são passíveis de treinamento. Incrível, né?


Isso quer dizer que podemos treinar o mundo a ser melhor? Aparentemente, SIM!

Um estudo realizado em Portugal utilizou o desenvolvimento de um "self" compassivo, associado com práticas como respiração lenta e profunda, tons vocais e expressões faciais compassivas e foco compassivo como  centrais na Terapia Focada na Compaixão. Comparado com o grupo lista de espera, o grupo que participou do Treinamento Mental em Compaixão apresentou um aumento significativo em emoções positivas, em auto-compaixão, em oferecer compaixão para outros e em receber compaixão dos outros. O grupo experimental também evidenciou redução em vergonha, autocriticismo, medo à compaixão e estresse, além de um incremento significativo na variabilidade da frequência cardíaca. Resultados interessantes e positivos em relação a essa prática. 


E afinal, o que é a meditação de compaixão?


Essa técnica também conhecida como METTA envolve imaginar algumas pessoas e enviar boas vibrações para elas. Assim como a meditação transcendental (com mantras) ou a atenção plena, ela serve para exercitar o músculo da contemplação, a meta ajuda a aumentar nossa capacidade de ter compaixão.


PRÁTICA


Comece sentado confortavelmente ou até deitado; e pense em si mesmo. 


Repita as seguintes frases:


- Que você possa ser feliz/ Que você possa estar seguro e protegido de qualquer mal/ Que você seja forte e saudável/ Que você viva com tranquilidade.


-Faça isso devagar, sem pressa. Deixe o sentimento atingir o seu coração...Você não está forçando esse sentimento, simplesmente deixando acontecer...o importante é tentar. A cada realização você estará exercitando o músculo da compaixão.


-Depois de enviar a si mesmo: continue pensando em um benfeitor da sua vida: um professor, um mentor importante ou um parente; uma amigo íntimo ou até um animal de estimação; uma pessoa neutra: alguém que você veja com frequência, mas quase não percebe na forma de ter relacionamento; agora uma pessoa difícil: alguém que te magoou ou que não admira muito ( dureza, né? mas faz parte do exercício) e por último: todas as criaturas.


-Respire fundo algumas vezes e abra os olhos.



Fonte: 1- Center for Healthy Minds

2-Stanford Medicine- THE CENTER FOR COMPASSION AND ALTRUISM RESEARCH AND EDUCATION

3-10% mais Feliz- Dan Harris.


Tags:

espiritualidade

meditação

compaixão

22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo