• Dra Patrícia Savoi

DNA e nossa saúde? Eu posso ir contra a minha genética?


Um pouco de história aqui é importante.

A estrutura tridimensional da molécula de DNA - a dupla hélice - foi descoberta em 1953, por Francis Crick, James Watson e Maurice Wilkins, quando trabalhavam em Cambridge, no Reino Unido e o resultado foi publicado em duas páginas da revista Nature, em 25 de abril de 1953, há mais de 50 anos. O prêmio Nobel lhes foi outorgado em 1962. Sem dúvida, como em outras descobertas, tributo deve ser feito a alguns predecessores como Gregor Mendel, cujas pesquisas sobre hereditariedade ficaram esquecidas por mais de 30 anos, até serem redescobertas em 1900, assim como Charles Darwin e sua teoria da evolução de 1958.


O genoma é a sequência completa de DNA (ácido desoxirribonucleico) de um organismo, ou seja, o conjunto de todos os genes de um ser vivo. O Projeto Genoma Humano iniciou-se em 1990 e tinha como objetivo determinar a sequência de todas as bases do DNA genômico e identificar e mapear os genes distribuídos em nossos 23 pares de cromossomos. A princípio, esperava-se que todos esses objetivos fossem alcançados após 15 anos de estudo. Entretanto, com o avanço da tecnologia, o projeto teve suas atividades finalizadas após 13 anos, em 2003.


Entre os resultados obtidos no processo, podemos destacar a descoberta dos 3,2 bilhões de nucleotídeos que compõem o genoma humano e a identificação da função de cerca de 50% deles. Também é importante destacar que foi possível concluir que a sequência do genoma humano é 99,9% igual em todos os indivíduos. Interessante isso, não? O que nos torna diferentes? A expressão gênica.


Hoje se sabe que as informações contidas em nosso genótipo não possuem controle exclusivo sobre nossa identidade. Sendo assim, a expressão dos genes contidos em nossas células é mediada por diversos fatores em que a informação não está contida apenas no alfabeto do DNA.


Quem nunca teve curiosidade em saber o porquê gêmeos idênticos se comportam e se desenvolvem de maneira diferente, se a sequência de DNA é a mesma em ambos?  E como se originam os diferentes tecidos de nosso corpo, se o material genético contido no núcleo das células é o mesmo?


Isso é por causa da Epigenética. Mas o que é epigenética, e por que é tão importante?


A epigenética é uma ciência que busca compreender como alterações na expressão de genes ocorrem sem alterações nas letras do alfabeto do DNA.

O interessante de tudo isso é que os mecanismos epigenéticos fornecem as células uma ferramenta adicional para ajustar como os genes controlam a maquinaria celular sem alterar a sequência de DNA, e leva a modificações que podem ser transmitidas às células filhas –  como se algumas partes destacadas do texto fossem transmitidas adiante. Assim, de uma certa forma, você não está apenas modulando o que você é, mas também suas futuras gerações.


Segundo a epigenética apesar de as células possuírem a mesma informação (mesma sequência de DNA, constituição de genes, etc), algumas dessas informações são utilizadas e outras não.


Algo muito interessante sobre a epigenética, é que as expresses gênicas são flexíveis e podem mudar ou surgir durante nossa vida em resposta a influências externas. Muitos traumas como sofrer abuso infantil, stress e passar fome ou ainda fatores externos como metais pesados, pesticidas, fumo de tabaco, radioatividade, bactérias e a alimentação podem influenciar em nosso desenvolvimento, pois, alteram as marcas em nosso DNA, resultando na alteração da expressão dos nossos genes e as vezes resultando em doenças. Isso também explica porque gêmeos idênticos, apesar de possuírem a mesma sequência de DNA são diferentes.  A diferente exposição e o contato com o ambiente resulta em diferentes marcas epigenéticas, que podem ser diferentes em cada um dos irmãos, resultando nas diferenças que observamos em cada um deles.


Assim, pode ser comprovado o efeito da dieta de uma mãe durante a gravidez sobre o fenótipo adulto de seus filhos e essas modificações foram diretamente ligado às mudanças epigenéticas na expressão de genes.

Não devemos negar é que a influência dos hábitos de nossos pais e antepassados juntamente com nossos hábitos atuais são os verdadeiros responsáveis por nossa identidade atual e qualquer influência ambiental capaz de alterar nossa composição genética pode influenciar nas gerações futuras.


Que tal pensar um pouco mais nas suas escolhas e ações atuais?


Testes genéticos são análises feitas em laboratórios que mapeiam no DNA que você herdou dos pais instruções capazes de indicar maior risco de doenças ou ajudar a escolher um tratamento. Além disso, podemos observer marcadores inflamatórios, tendências alimentares, metabolism energético e muito mais.

Interessante não?


Te espero no consultório e falaremos sobre isso!!


Referências:

-Wikipedia

-www.unicamp.br

-Weinhold, B. Epigenetics: the science of change. Environ Health Perspect, 114(3): A160-A167, 2006.

-Jaenisch, R.; Bird, A. Epigenetic regulation of gene expression: how the genome integrates intrinsic and environmental signals. Nature Genetics, 33: 245-54, 2003.

https://www.theguardian.com/science/occams-corner/2014/apr/25/epigenetics-beginners-guide-to-everything


Dra Patrícia Savoi

Médica Nutróloga crm 140.483/RQE 40.206

Ayurveda Lifestyle Instructor by Chopra Center

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo